13 junho 2013

Um adro em reboliço para segurança da igreja.

 Todos os Paramboenses que passem pelo adro, ou vão a igreja, de certeza que verão imagens únicas
a igreja enquadrada por máquinas e sulcos profundos, pensarão que há petróleo? ou moedas como já aconteceu? 

afinal são obras de beneficiação contra a humidade que andava a entrar na igreja e debilitava as paredes 

  assim pode-se ver, antes que a obra acabe, as fundações onde assenta a parede

 e a frente num autentico reboliço, que mais parece um cenário de "guerra"


 vestigios de um antigo reservatorio de água, que antes de haver saneamento, servia três casas e um tanque público
e os materias de acabamento, que irão criar um novo piso à volta de igreja.
Muitos ficarão surpreendidos, os que estão mais por longe, temos, assim, estes momento que dificilmente se voltará a ver e que confirmam que a nosssa igreja é sempre um bom modelo para uma boa foto.
At Ento/ViverParambos

3 comentários:

Paranboense disse...

Estes vestigios não são de um reservatório de água como o atento quer fazer passar mas sim da cobertura do tanque do antigo quintal do Senhor Mario Fernandes que deu quando do alargamento do Adro à um 30 e poucos anos e que este tanque foi coberto com uma placa de cimento.E antes de haver saneamento em Parambos já havia abastecimento de água ás habitações. O abastecimento de água é dos anos 60 e o saneamento teve o seu início em 1983 e o seu termino em 2008.

viver Parambos disse...

Olá Paranboense.
Todas as contribuições são uteis para sabermos mais...
o texto, do post, foi escrito depois de uma conversa com o senhor Alberto Rebelo, que no seu tempo fez a referida divisão da água pelos proprietários e uma parte para o tanque, a divisão da água partia desse reservatório, segundo ele, e que o senhor Mário Fernandes não só concordou como ainda contribuiu com 2 contos para a juda das obras, nada que aqui se põe é do at ento que quer fazer passar, é o que as memórias dizem e as memórias têm gente que pensa. Ainda bem que há mais achegas sobre o assunto.
Saudações sempre verdes e atentas.
At Ento/ViverParambos

viver Parambos disse...

Recebemos mais dois apontamentos, de, Paramboense, sobre quem fez a tal divisão das águas, falou-se aqui em, Alberto Rebelo, pois ele disse que "ele e um grupo que nomeou, fez no seu tempo", portanto com as pessoas que nessa altura se empenharam... fica ressalvado, não foi só ele, claro. Convém ter a noção de que: Nunca em Parambos, um só, seja ele quem for, fez tudo sozinho, certo? Até porque nunca se está só nos organismos da aldeia. Muitos contribuíram, sempre com mais ou menos empenho "e longe dos holofotes/microfones" com empenho e muito trabalho na equipa. E mesmo com dinheiro para que um, seja ele quem for que esteja à frente, nesse momento, do que quer que seja, Comissão de Festas, Clube, Comissão Fabriqueira, Junta de Freguesia. Como hoje em dia acontece. Todos contribuem quando são chamados, e assim Parambos continua a mexer, a fazer-se coisas com quem está disponível e isso é bom é o espírito empreendedor que saudamos sempre, para que não caia no esquecimento
At Ento/ViverParambos