26 março 2007

Cachão da Rapa, Pintura Rupestre

Hoje vamos fazer uma caminhada pelo caminho de Ribalonga até ao famoso Cachão da Rapa, onde estão as Pinturas Rupestre, que são muito importantes como o atestam os estudo elaborados e que adiante referimos.


Partindo de Ribalonga em direcção à ribeira de Linhares, passando a "Fraga das Marcas" mira-se uma paisagem deslumbrante e puro Trás Os Montes.

Convém ir com quem saiba o caminho e conheça os melhores atalhos, pois quem caminha para (re)descobrir não procura caminhos batidos.

Descendo até à ribeira de Linhares assiste-se ao impressionante descaimento das águas em cascatas várias, dependendo das épocas, no Verão quase seca, mas as marcas estão lá.

Depois passa-se por autênticos desfiladeiros que nos abraçam e comprimem com a sua grandiosidade e austera beleza quase selvagem.

Depois de passar os labirínticos meandros do sobe e desce granítico e por vezes apocalíptico caos, sobre os nossos pés, e algum muito procurar o sítio, eis que vale a pena olhar e sentir a serenidade do lugar que se desnuda perante a nossa expectante ânsia de ver.

E ali, imperturbávelmente altas, a sobriedade das marcas vermelhas que registam o gesto há muito feito e, que perdura como marca indelével da passagem de alguém, que resolveu simplesmente deixar um olá para estes, e outros, caminheiros.

Com a devida vénia publicamos o que está escrito em

http://home.utad.pt/~geologia/jornadas2/abrigos.html

Sobre Cachão da Rapa

Não se trata de um verdadeiro abrigo mas mais de uma parede vertical que tem uma reentrância que protege a superfície pintada. Tal como por exemplo acontece na Faia, no Vale do Côa.

A primeira notícia sobre as pinturas do "abrigo" de Cachão da Rapa foi feita pelo Pe. António Carvalho da Costa, em 1706. Alguns anos mais tarde, em 1721 foi a vez do Pe. José de Morais e de António Pinto reproduzirem algumas das pinturas. Sucessivamente, Jerónimo Contador de Argote, faz delas uma descrição e publica uma gravura assinada por Debrie, em 1734.


Esta estação é portanto, uma, senão, a mais antiga localidade com a arte rupestre publicada no Ocidente – mais de 150 anos antes da descoberta de Altamira! As pinturas são redescobertas e estudas com maior atenção por Santos Júnior em 1930. Infelizmente as 30 figuras que este investigador publicou estão hoje muito pouco visiveis e são de difícil de identificação.


Entre os principais motivos de interesse estão as cores utilizadas que vão do vermelho mais vivo a um tom de vermelho vinho, quase azul, bastante pouco conhecido em Portugal e até na Península Ibérica."



Desenho das pinturas de quadrados e ovais foram pintadas em vermelho mais vivo, cor de vinho e azulado.
Detalhe (Santos Jr. 1931)

At Ento





12 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns por nos mostrar estas reliquias da nossa terra.. Mas é pena os senhores do dinheiro terem descoberto também as quedas de água da ribeira de LInhares e provavelmente em breve nascerá mais uma barragem no nosso concelho(pois já estão a ser feitos estudos) que parece ter sido descoberto para nos fazerem afogar numa agonia sem sentido,mas no sentido do dinheiro facil das grandes empresas que é o que estamos também a vêr acontecer no nosso rio-o Tua...

Xo_oX disse...

Gostei de ver esta reportagem. Também tenho algumas fotografias que um dia destes vou mostrar.
Um abraço

Esmeralda disse...

Olá!
Gostei! Sim Senhor! Parabéns!
Abraço
EL

Atento disse...

Olá Caro Anónimo.
O progreso por vezes não é sensivel as nossas pequenas coisas mas que são nossas e por isso são enormes na ligação dos afectos das gentes a sua terra. Vamos falendo do que nos vai na alma e mostrar aos outros o valor que as coisa têm para nós, pode não mudar o rumo mas fica registado e não dirão que ninguém disse nada.
Por isso é que estamos aqui.
Saudações com amizade
At Ento

Atento disse...

olá Caro Xo-oX.
Foi uma aventura e tanto, pena o nosso cicerone junior que descança ao pé da pedra, resolver partir uns tempos depois.
Um abraço.
At Ento

Atento disse...

Olá El.
Se gostou de ver, imagine a caminhada, é (foi) fabulosa.
Também gostamos de a ver por cá, no nosso cantinho verde.
Em Freixiel há muitos Sportinguistas e amigos que nos visitam a muide.
Saudações com amizade.
At Ento

Amaresa disse...

Estive ontem no local, penso eu e não consegui encontrar a gravuras.

Será possível marcar um encontro para o Verão para me mostrarem o local?

Ficaria muito agradecido.

Obrigado,

Fernando Costa,

ferbricos@gmail.com

at ento disse...

Olá. Fernando Costa. Bem Vindo ao nosso espaço.
Será uma óptima ideia caminharmos até às "Pinturas".
Não é fácil chegar lá se não se souber o caminho. Nós fizemos, nesse tempo mais do que duas tentativas e por fim vimo-las.
Vamos mantendo o contacto e no Verão haverá sempre um tempo.
Saudações com a nossa amizade.
At Ento

Lenan2do disse...

Caros amigos, será possível enviar-me as coordenadas GPS deste local?

Muito obrigado.

Fernando

at ento disse...

Olá Fernando.
Nós sabemos lá ir, mas somos dos que vão para o monte à descoberta descobrindo "as coordenadas" na hora.
não sei dizer-lhe mais em pormenor a não ser que fica depois da estação do Tua e perto do primeiro túnel da linha, isto em direcção ao Pocinho.
Que é um passeio lindíssimo é, arriscado? um pouco, mas inesquecível
saudações.
At Ento

antonio carlos disse...

Só hoje me deu a saudade de procurar neste novo meio de comunicação e viagem percorrer virtualmente outros caminhos ,que não os teus,com o mesmo destino.Parabens pela descrição realista das descobertas em cada passo dado.somos vizinhos porque nasci e cresci bem pero na aldeia de Linhares.Cumprimentos e tudo de bom A.carlos

at ento disse...

Olá António Carlos, nosso vizinho de Linhares.
Bem-vindo ao nosso cantinho que não se cansa de falar de Parambos e das coisa bonitas que estão por aqui perto. O Mirago é um local de culto cá para a malta e gostamos de percorrer os caminhos da Fraga Bolideira, das quintas da beira rio, das fragas de Campelos, tudo aí do vosso lugar.
Aliás tudo por aqui é bonito de ver.
Saudações com a nossa amizade.
At Ento