07 abril 2018

Páscoa 2018. No Forno da aldeia (3)

O tempo de Páscoa vai em certas zonas até à Pascoela, noutros tempos era nesse Domingo que se fazia em Parambos a Visita Pascal. Hoje já não é assim mas é sempre um bom momento para recordar e reviver o Forno e as rotinas destas festas pascais. (para ver o capitulo anterior do forno da aldeia, clique aqui )

 O Nosso Forno da aldeia é uma lição de memória de bem fazer todo o pão. e quem por lá passa fica a saber muito mais sobre esta arte. E fazer parte da Equipa é uma honra que se destaca.
 estar aqui nesta manhã com estas Pessoas com tanto saber e ver como fazem e o carinho com que falam do que fazem é um momento sublime honra à  memória de todas as forneiras que por aqui passaram e ainda se faz como sempre se fez.

aqui o gesto natural do corte do pão pequeno

o enfornar com o cuidado de levar o pão ao sitio ideal para cozer


o gesto de carinho como que afagando o local onde vais assentar 

 o pão Folar
 Sobre a celebre Folha de Couve Galega
 e neste aconchego se vai o folar para o forno
 é admirável estes gesto de autentico Miminho que as "Forneiras" põem no segurar o folar como se menino fosse



 E a arte de enfornar é posta em causa a cada enforno, para que cada folra fique o lugar certo
 e assim eles os folares vão ganhado cor


 quando há fornada há também "Bola Sovada" e elas lá vão em último lugar para o forno
 Afaga com ovo batido, o folar doce.
 Adoça com uma boa pitada de açucar
 pousa suavemente sobre a Folha de Couve Galega
 Uma mão põe o ovo e na outra segura o açúcar
 A luz é importante para se ver dentro do forno no acto de enfornar, daí ser importante o estar disponível para dar luz
 a malta nova ainda puxa mais para as brincadeiras de rua, que o tempo está de feição, mas volta e meia vêm ver se a sua pequena bola já entrou para o forno

 E a  enfornadeira enforna com o olhar, para ver o sitio onde vai colocar a massa; enforna com os braços, para levar levemente a pesada pá ao sitio ideal; com o corpo pois é necessário uma grande elasticidade para executar todas as manobras no pequeno espaço disponível e a pá tem um cabo grande.
E, olhando para o forno notam-se os diferentes momentos de enfornar, pela tonalidades que cada variedade revela, de acordo com a sua especialidade. primeiro o pão normal, depois os folares de carne, as bolas sovadas e os folares doces.

E com este olhar, talvez a pensar já na azafama do próximo ano, terminamos a reportagem do Forno da Aldeia 2018.
Nunca é demais homenagear quem anima o forno e dá vida as tradições saborosas como estas   
At Ento/ViverParambos

Sem comentários: