09 abril 2007

Páscoa em Parambos -1

Vamos hoje ver momentos da Páscoa em Parambos.

A Visita Pascal:


O grupo que foi constituido para dar corpo físico à Visita que se pretende espiritual. São jovens todos os elementos, mas cada qual aassume o seu papel com muita personalidade.



Cada um tem o seu papel, desde o responsável pela representação e oração, passando pelo que anuncia o evento tocando a pequena campainha, ao que transporta a pasta para recolha das ofertas, aos guardiões da cruz que transportam as lanternas, ao que tem o previlégio de transportar o Cristo crucificado e o que transporta a água renovada e benta.


O cortejo entra nas casas, com simpatia vão passando o Senhor crucificado que é brindado com o beijo de adoração e, a cada beijo um afago com o lenço para se manter limpo



O sobe e desce é uma rotina deste cortejo, e cada casa é um tempo próprio dos donos e dos seus amigos que esperam a Visita com o prazer de receber e manter a tradição, que diz para cada um visitar as casas em número impar e pelo menos três devem ser visitadas.

O conjunto é muito bonito e sem correr nem parar matém um ritmo harmonioso e sorridente a que ninguém fica indiferente.



Mesmo parados às portas, os guardiões com as suas lanternas, mantêm o movimento do vento nas opas e da chama das velas que incita a não parar enquanto não percorrerem todas as casas.
...As coisa boas são para saborear, assim ficamos por aqui hoje mas, voltaremos com mais pormenores deste dia na proxima página. Não Perca....


At Ento

17 comentários:

Helder Seixas disse...

Pela reportagem Atenta, parece-me que correu tudo bem por Parambos nesta quadra, e é o que se deseja.
Que estas e outras tradições não se esfumem com o decorrer dos anos, e a ver pela juventude presente estamos confiantes num futuro risonho.

E-Bunny disse...

Querido amigo Atento,

sempre muito à frente, não é meu amigo? Fizeste-me recordar que também eu prometi uma reportagem sobre a Páscoa na minha terra...
Pois atenta, meu amigo Atento, está na forja! Brevemente saíra...mas não sei se tão boa como esta...

Saudações com amizade

E-Bunny

Atento disse...

Olá Helder Seixas.
Como as imagens mostram a páscoa correu bem, o tempo é que não esteve regular, pois parecia Inverno.
Mas a festa fez-se como manda a tradição e aquui a registamos para o futuro.
um abraço.
At Ento

Atento disse...

Olá cara amiga E-bunny.
bondade a tua, pois as festividades da Páscoa em Parambos são simples, mas como é da tradição, a Visita Pascal é o Ponto alto deste dia. Assim o registamos.
Claro que a tua prometida reportagem de encenação pascal é muito mais envolvente. Esperamos.
Saudaçãoes com amizade.
At Ento

Anónimo disse...

Esta tradição é linda e une as familias devia manterse mas não da maneira como é feita; andar a trabalhar para no final o Padre levar o dinheiro uma vez que não é o Padre que leva o trabalho também não devia levar o dinheiro são 500 ou 600€ que se vão de Parambos que podiam e muito bem reverter para a nossa Igreja não era preciso lá um simples leitor de uma cabula escrita pelo Padre. A juventude da foto era e muito bem competente para executar a tarefa e assim o dinheiro ficava em Parambos que muita falta lá faz.

Atento disse...

Olá Caro Anónimo. O importatnte mesmo é que a tradição deste dia se mantenha. pois é bonito de ver as pessoas com as suas portas abertas a receber os amigos e a Visita. O dinheiro será o menos importante, pois cada um só dá o que quizer e tem por finalidade contribuir...
Saudações.
At Ento

Anónimo disse...

Atento acho que me fiz perceber o problema não está em dar está sim em dar para o padre que não esteve presente e levou dali uma boa quantia em dinheiro que poderia muito bem reverter para a Igreja que bem precisa só não entende quem não quer....

vice versa disse...

Não pretendo fazer polémica sobre o dinheiro da visita mas, já que se fala nisso, a minha opinião é a seguinte: um padre é um trabalhador como qualquer outro. Tem despesas, necessidades e obrigações como toda a gente. Como tal, o seu trabalho deve ser pago pelos "clientes" que, neste caso, são quase toda a aldeia. E o pagamento deve ser proporcional aos serviços prestados e à disponibilidade demonstrada. Assim, se um padre fizer um bom trabalho e se o que ele for recebendo ao longo do ano nas várias paróquias não for suficiente para ter uma vida digna, não me choca nada que ele venha a receber o dinheiro da Páscoa, no todo ou em parte.

Anónimo disse...

Pois é vice vresa um padre tem despesas e tem trabalho mas é com trabalho que depois se deve receber e não sem ele o que foi o caso esteve-se marimbando para o assunto manda uns amigos trabalhar por ele e no fim fica com a totalidade do dinheiro enfim coisas de padre.

Atento disse...

olá Vice Versa.
Pois é tudo uma questão de vontades e de uma espécies de compensação de um trabalho que decorre ao longo do ano por quem assume o papel de pároco.
saudações.
At Ento

Atento disse...

Olá caro Anónimo.
Eu não quero defender quem quer que seja, muito menos qualquer padre, mas a crise é conhecida e os padres são uma amostra por isso não podem estar em todos os lados, essa será a justificação.
A Igreja contará sempre com a ajuda de todos como tem sido quando há projectos.
Saudações.
At Ento

mm disse...

Pois é amigos estou com o amigo Anonimo esse dinheiro poderia ficar pela freguesia e reverter para a paróquia que bem precisa de obras não só a Igreja mas também a Capela de Misquel que faz parte da paróquia e está urgentemente a necessitar de uma intervenção. Precisa mais a paróquia de dinheiro que o Padre trocar de carro.

vice versa disse...

Penso que, acima de tudo, está nas mãos dos paroquianos escolherem o destino das suas contribuições. Quem dá dinheiro na visita pascal já sabe que não será usado na manutenção das igrejas, pelo que é livre de optar: ou dá o dinheiro porque quer mesmo compensar o padre, ou não dá dinheiro nessa ocasião e entrega-o a quem trate das obras.

Aproveito para felicitar o blogue pela bela reportagem fotográfica, que prova que a tradição se vai mantendo, embora quase a correr e sem padre. É bonita a Páscoa na nossa terra!

Atento disse...

Olá MM.
Dizes uma coisa pertinente, a capela de Misquel, defacto esse era um assunto que devia ser da paróquia e assim haver uma vontade colevctiva de a arranjar.
Vamos manter esssa ideia, pois só conversando sobre os assuntos é que se pode fazer luz.
Atentamente.
At Ento

Atento disse...

Olá Vice Versa.
É como dizes. "é bonita a Páscoa na nossa terra" pois são momentos nossos e que cimentam a convivência no corre e corre de uma casa para a outra, no esperar à porta que chegue a nossa vez e, assim se mantém hábitos que fazem a nossa história coletiva.
Saudações com amizade.
At Ento.

Anónimo disse...

Minha gente
Já não conheço nenhuns jovens que estão a ajudar na Visita Pascal.
Saudações para todos
Clarinda

Anónimo disse...

Clarinda, a mim acontece-me o mesmo. Olho para os jovens da minha terra e não os conheço. Acontece a todos que estão fora do " berço" e que nasceram na 2ª metade do século passado.
Saudações.
Raúl Figueiredo