10 maio 2007

A cor de Maio

Vamos hoje viver as cores de Maio.

A Papoila, uma flor de aparência tão frágil mas de uma intensidade lumínica que dá um tom à paisagem a que ninguém fica indiferente



" Uma papoila crescia, crescia!

Grito vermelho num campo qualquer.


Como elas somos livres.
De crescer, de crescer, de crescer! "


Um verso que imortalizou a papoila e que fica aqui muito bem, para saudar o mês de Maio.
At Ento

12 comentários:

Tierra disse...

Por favor deja un comentario en http://latierraesnuestra.blogspot.com/ es por una buena causa. Saludos y gracias.

Atento disse...

Olá Tierra, bem-vinda.
Agradecemos a visita e vos visitaremos de seguida em vosso blog.
Saudações.
at Ento

Lektor disse...

Este blog está cada vez mais internacional!
Escusado será dizer que as fotos estão excelentes. Só espero que no próximo fim-de-semana deixemos os vermelhos definitivamente para trás e ainda possámos sonhar.
Lektor

Blue Eyes disse...

Somos prisioneiros de nós próprios...sejamos como as papoilas que "vão" ao sabor do vento e talvez a vida se torne mais leve!

E-Bunny disse...

Querido amigo Atento,

Depois de, nos provérbios de Maio, nos teres brindado com a papoila orvalhada, mais esta maravilha da Natureza...
Agora...transpondo um pouco para a linguagem clubística: o VERMELHO não deixa de ser bonitinho mas é o VERDE que prevalece!

Saudações floridas

E-Bunny

Anónimo disse...

Boa noite a todos,
Um poema sobre esta flore que es magnifica.

Frágil coquelicot

Coquelicot das grandes cidades, Meurt sobre os caminhos de betão,
Coquelicots dos campos, sobrevive um curto momento.


Conheci-o, tão frágil e bonita, que o meu coração chora para ele,
Único neste grande campo, ou a brisa vem frequentemente.

Quando vem chover, as nuvens são pesadas e pretas, as dobras o seu
corolle vermelha, Froisse o seu coração de veludos.

Conheci-o, tão suave e frágil, que a minha alma quer salvá-lo,
Única sob esta terra húmida, a marca deve nunca permanecer-se.

Abraços para todas as pessoas de Prambos e bloguistas
christina

scs disse...

Mão amiga e de certo modo distante deu-me este blog, há mais de um mês, que remete para nossas amplas raízes transmontanas, para além dos muros da cidade. A natureza, nos seus esplendorosos recantos, aqui surpreendida.

Atento disse...

Olá Cara amiga E-Bunny.
As papoilas são magnificas, mesmo vermelhas, só em fundo verdejante elas se enquadram.
Sauadções com amizade.
At Ento

Atento disse...

Olá Christina.
As papoilas são tão frágeis, quase voláteis, mas conseguem impor-se na paisagem com impacto e são um bom tema para uma poesia.

Saudações com amizade.
At Ento

Atento disse...

Olá SCS ben-vinda.
abençoada mão que te pos no nosso caminho, pois o espirito é esse, chegar a todos os que se identificam com este ser transmontano e conversar das coisas simples que nos engrandece, das fragas, das gentes, das paisagens e do tempo que perguiçosamente passa e deixa marcas.
Estaremos sempre por aqui.
Saudações com amizade.
At Ento

Xo_oX disse...

Viva
a cor de Maio em Parambos (e arredores) é o amarelo embora eu seja mais adepto do vermelho (não desfazendo de outras como o verde...)

Atento disse...

Olá Caro Xo_oX
Mas papoilas senhor! que seria da Primavera de Maio sem os tons de vermelho das papoilas, das primeira cerejas, das primeiras ginjas..., os amarelos são tons belissimos que começam em Abril e vão preenchendo a paisagem com os seus cheiros intensos e insusbtituíveis durante um periodo de tempo dourado.
Não há maias como as da nossa terra.
Hoje é dia de todas as cores, desportivamente falando e nós por cá, esperamos verdes de expectativa.
Saudações com amizade.
At Ento