19 julho 2008

Uma viagem de comboio a Mirandela no Vale do Rio Tua

17 comentários:

Sei que existes disse...

Tenho de fazer essa viagem!
Obrigada pela sugestão.
Beijocas grandes

at ento disse...

Olá "Sei que existes"
Ainda retenho as belas imagens da viagem de barco com que nos brindas no teu blog. Mas esta viagem de comboio é de sonho, com os olhos bem abertos e máquina pronta a disparar, pois a cada momento há momentos únicos. E querem afogar esta bela linha, e toda esta beleza envolvente.
não deixes esfriar essa vontade de fazer esta viagem pois pode acabar...e divulga-a para ver se conseguimos mudar o rumo e a barragem ficar mais baixa e poder coexistir os dois interesses, barragem de armazenamento logo com cota mais baixa, e a linha com o seu comboio que serve as aldeia e leva os viajantes que apreciam o mundo tal como ele é.
Saudações com a nossa amizade

eduardo disse...

Ando para fazer esta viagem à cerca de 5 anos mas ainda não calhou.
Espero que a possa fazer daqui a mais 5 anos, é sinal que mesmo que a barragem seja feita a linha fica lá.

Caminheiro disse...

pois é at ento... depois de falarmos tantas vezes na descoberta da Linha do Tua, não estava nos meus planos encontrar-te em tão alegre companhia, na Ribeirinha, numa das minhas caminhadas pela linha.
A minha reportagem pode ser lida no blogue, que criei recentemente, totalmente dedicado à Linha do Tua: A Linha é Tua

No dia 19 percorri, a pé, toda a linha no concelho de Carrazeda, do Tua a Abreiro, mas ainda não arranjei forças para escrever a história... fotografias são às centenas. Quando se afirma que a linha não tem passageiros, vejo crescer dia a dia o interesse em conhecer estas paragens escondidas no vale do Tua,...
Está nas tuas
mãos

Sofia M disse...

Já fui assinar a petição.

Helder Seixas disse...

Boas,
Já assinei a petição,
Eu fui dos felizardos que já efectuei a viagem de ida e volta(simplesmente fantástica!), voltarei a efectua-la assim que puder.
Todos juntos teremos a força necessária para levar anossa avante.
Saudações de amizade,
Helder Seixas

Miguel disse...

Olá pessoal, tambem assinei a petiçao embora e com enorme pena minha , ache que a decisão já esta tomada, e como já disse várias vezes, vão acabar com uma das mais belas paisagens naturais e agrestes do nosso portugal. Saudações verdes

monge disse...

Olá companheiro de viagem ... e que viagem meu amigo! Também já bradei aos quatro ventos para que se assinasse a petição. Todos juntos talvez consigamos que se cometa um autêntico atentado ambiental, porque aquela paisagem é de nós todos temos que defendê-la até ao fim.

Abraço companheiro

Anónimo disse...

Companheiro,Companheiros de uma linha que de Tua se tornou Nossa, a cada travessa, a cada pedra a cada curva se fez o caminho...
E para o futuro que o grande(?) Engenheiro(?) nos promete ficam as palavras(em forma de escarro) do castiço maquinista.
Nuno e Carla

Anónimo disse...

Deixem-se de tretas. O que o país precisa é de lucros e não desses meios metros que só estão a dar prejuizo.

Sofia M disse...

Ao anónimo anterior:
Que lucros são esses? Lucros para os construtores? Não me parece que o país precise de mais desse tipo de despesa, que é paga por todos os nós (os que pagam impostos, claro) e da qual não se vê retorno proporcional. Não são estas dez barragens que vão resolver o problema energético do país a longo prazo, pelo contrário, são apenas uma forma de tapar o sol com a peneira. É um remendo que vai ser muito bem pago por nós e vai endividar os nossos filhos e netos, em benefício de poucos.

Anónimo disse...

Não resolvem o problema energético mas ajuda a resolver, o que não é o caso da linha do Tua que não resolve nada pelo contrário só dá prejuizo, só quem não a utiliza a que não vê que dá prejuizo. Estes defensores não a utilizam ou numca a utilizaram e veêm agora defendela

Anónimo disse...

Toda a gente vê que a linha do Tua não é rentável, mas ainda há gente que gosta de enterrar dinheiro para a sobrevivência do mini metro! faça-se a barragem e deixem-se de histórias...

Sofia M disse...

Eu percebo que, numa terra como a nossa, onde quase não se vêem investimentos público ou privados, as pessoas se entusiasmem quando se fala em obras, progresso, etc., que muita falta fazem. Mas não é razão para aceitarmos tudo o que nos querem impingir, só para vermos alguma coisa mexer. Se algum governo estivesse de facto interessado em desenvolver a região, teria muito por onde começar, e não seria pela barragem.

A Linha do Tua é um símbolo, mas é só uma pequena parte do que está em causa. Está visto que o interior é para fechar, mas não antes de serem sugados todos os recursos (naturais, humanos) que fazem falta ao desenvolvimento do litoral...

Anónimo disse...

Cara Sofia ignorantes não somos nem o seremos

Anónimo disse...

" se queres um ano de prosperidade, semeia milho.
se queres dez anos de prosperidade, planta árvores.
se queres cem anos de prosperidade,educa as pessoas."-proverbio- só queria dizer q tb assinei a petição e q o nosso paìs`"semeia milho" os nossos antepassados contruiram com esforço e sem estragar o "nosso reino maravilhoso" destrui-lo não é Educar.

espero q as gerações futuras tenham orgulho do passado...eu ainda tenho esperança de vêr o desenvolvimento sustentavel em prática no nosso país...termas,paisagem,gastronomia,turismo rural entre outros é o futuro da nossa região...

Cumprimentos

at ento disse...

Olá Meus caros bloguistas amigos e conterrâneos.
Que o futuro reserve esperança, e esta constrói-se hoje.
Que o futuro seja de orgulho pelo património deixado, e este preserva-se hoje.
Que o futuro seja a continuidade da nossa evolução cultural e esta começa quando nos sentirmos maduros mas não podemos esprerar muito pois seremos ultrapassados.
Se não valorizarmos as heranças deixadas nas fragas, nas pedras, nas terras, nos horizontes, nas paisagens que os nossos antepassados recentes construíram, então perdemos algo da nossa identidade.
O que está mal não é o "pequeno" metro é um principio de desvalorização de algo que tem uma importância primordial na nossa genética, enquanto nascidos aqui neste REINO MARAVILHOSO, (Miguel Torga).
Quando por essa Europa fora se fala, se defende e se protege o património paisagístico, com as pessoas, para desenvolver o turismo de bem-estar com a natureza e sentir que o mundo é muito melhor se o pudermos viver com a sua florestação natural, respeitando os seus eco-sistemas, que é uma riqueza maior e que será a nossa contribuição na herança, que depois de nós ficará, não podemos assistir a esta tentativa de destruição de um bem colectivo.
Bem Hajam os que se juntam nesta defesa.
O Vale do Tua merece bem este nosso olhar atento.
At Ento