14 julho 2009

Ginjas. A Novidade da Época,




só meia dúzia?




Ou um céu delas!



Assim brilhantes de sol, prenhes de um amargo doce especial, que se dá aos apreciadores num "gole" de suco que mata a sede e dá a energia que aprisiona do sol que a brinda dando-lhe o seu próprio brilho.


A Ginja dá-se bem numa compota, nadando em açúcar


Mas o que a Ginja gosta é de tomar banho e repousar num bom bagaço, com um toque de açúcar e um pau de canela, ao qual vai dar a sua cor e o seu sabor que em Dezembro será um néctar que libertará o sol que agora aprisiona.


Um bom repouso, para que a Ginjinha ganhe corpo.

At Ento

4 comentários:

floriano disse...

so a pena serem vermelhas... um abraço amigo

at ento disse...

Olá Floriano.
Nem tudo é perfeito, mas a culpa não das Ginjas, pois elas são um pedaço de sol que se perde, brilhando, no meio das verdes folhagem das Ginjeiras. E depois dão uma pomada ou uma doce compota que não tem rival.
Saudações com a nossa amizade e aquele abraço.
at Ento

Ana Maria disse...

Essas fotos são uma tortura visual, emocional e gastronômica.
As 2 vezes que estive aí, minha avó Maria Cândida, tinha o doce de ginja, e ela ia logo cedo comprar os moletes para comer com o doce, era muuuuuuuito bom.
Que doce e saborosa lembrança.

Saudações

Ana Maria
SP - Brasil

Clarinda disse...

A minha(nossa) avó Zefinha tinha uma ginjeira na Cortinha, que dava umas ginjinhas "de comer e chorar por mais".
Um beijo,
Clarinda