19 junho 2007

Ginjas.

Hoje vamos falar de um fruto que nasce por aqui, numa árvore quase arbusto, nas bordas das geias ou nas imediações dos montes, juntos às fragas e no meio delas.
Falamos da GINJA que nasce nas Ginjeiras. Fruto muito conhecido nacionalmente pela bebida de seu nome, a Ginjinha, e o seu sabor amargo característico. A receita da ginjinha tradicional ou caseira: põe-se o fruto num frasco grande, na qual se junta uma certa quantidade de açúcar mascavado e uns paus de canela, atesta-se de uma boa aguardente e deixa-se a macerar junto a uma janela onde bata o sol durante uns 15 dias, tapa-se e deixa-se repousar durante uns meses.


O fruto, Ginja, é muito sumarento e apazigua a sede. mas também é utilizado para a elaboração de compotas, em que se acentua o seu travo amargo e é delicioso


At Ento

11 comentários:

B.M. disse...

Vai uma Ginjinha?
saudações com amizade.

Atento disse...

Olá B.M.
Claro!
Se é cá dos nossos
vai uma ginjinha
pró nosso copo.
Pois um ginjinha cai sempre bem e alegra o spirito.
Saudações com amizade.
At Ento

sofia m disse...

Com tantas coisas boas que nos vais lembrando, só falta fazer um festival gastronómico ao vivo...

Anónimo disse...

Com estas iguarias todas: doces de Natal, as cerejas e as ginjas, tenho a informar que os doces da Puri confecionados no Beco do Jaime em Parambos ganharam no passado mês de Maio o 2º lugar da mostra de entre muitos outros produtos na Galiza (Espanha)

Atento disse...

Olá Sofia M.
Devia ser interessante o festival gastronómico ao vivo, nós por aqui vamos fazendo a cores para espicaçar o apetite sensorial.
Saudações com amizade.
At Ento

Atento disse...

Olá Caro Anónimo.
Pois as coisas boas, da nossa terra, pelos vistos são valorizadas. Os Doces da Puri estão de parabéns pelo galardão alcançado em Espanha.
Saudações com amizade.
Ãt Ento

monge disse...

Ai não que não ia uma ginginha!
Lembra-me uns deambulantes passeios pelas medievais ruas da inexpugnável Almeida.(Não sabia dessa dos 15 dias ao Sol - obrigado pela dica).
Abraço amigão

monge

Atento disse...

olá Monge.
Aqui só há a receita, para além do visual, mas em Almeida bebe-se da boa, assim como em Óbidos, ou nas Portas de Santo Antão em Lisboa, mas a receita com elas é esta.
Um abração para ti também com o nossa amizade.
At Ento

Esmeralda disse...

Olá
O Grande sportinguista cá da casa fá-la maravilhosamente bem!! Segue essa receita e, ...mais qualquer coisita... Segredooooo!!! É pena estar tão longe, pois iria poder comprovar....
Isto pelos comentários que lhe fazem, porque eu não toco em alcóol. Não gosto.
Abraço
Esmeralda

Atento disse...

Olá Esmeralda.
Pois é, as coisas boas têm sempre aquele segredo que os leões guardam. Quanto ao álcool, ele quase desaparece nos aromas que se misturam tão bem, é uma bebida de excelência que tem por base um fruto tão humilde.
Um abraço ao Sportinguista e à sua arte de bem fazer que esperamos um dia (com)provar.
Saudações com amizade.
At Ento

E-Bunny disse...

"Ginjas com elas" ou sem elas?

Saudações

E-Bunny