06 maio 2012

Saudamos o Dia da Mãe

Saudamos neste dia, mais um Dia de Mãe


Porque todos tiveram uma,
 que a amem, cada um a sua, 
tanto como nós e o mundo será sempre muito melhor!

A todas as Mães, de Ontem, de Hoje  e de Amanhã, Conterrâneas, Bloguista e Amigas. Uma homenagem com a nossa admiração.
At Ento

6 comentários:

Resiliente disse...

Saudações para Viver Parambos,para todas as mães e para os filhos pois sem eles nós , MÃES, não existia-mos.Se me permite gostaria de partilhar a sua homenagem com um poema de Carlos Drummond de Andrade que adoro.
"Para Sempre
Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho."
Carlos Drummond de Andrade

Maria Luisa Adães disse...

Lindo e verdadeiro. Agradeço,

Maria Luisa

viver Parambos disse...

Olá Maria Luísa Adães.
Registamos com muito agrado a sua visita e a palavra dita que aqui ficará a marcar o elogio que todos sentimos neste momento de poesia e vida.
Saudações com a nossa verde amizade.
At Ento

viver Parambos disse...

Olá Resiliente.
Belo momento em que a palavra de Carlos Drummond de Andrade ilustra o sentimento para com a MÃE,
Universal em todas as culturas, pois uma mãe todos têm/tiveram, e recordá-la é sempre um sentimento de Oportuna Homenagem.
Obrigado pelo miminho que aqui partilhou.
Saudações com a nossa amizade .
At Ento.

Resiliente disse...

Olá Viver Parambos
Eu é que agradeço pelo seu blogue que traz de volta a lembrança da terra que será sempre minha de coração, apesar das palavras serem escritas de longe.
Atenciosamente

viver Parambos disse...

Olá Resiliente.
A nossa pretensão é mesmo valorizar as memórias e esta é a forma de partilha que muito nos motiva, pois só falando das coisas é que sentimos que não caem no esquecimento, por isso a sua entrada foi muito oportuna e fez-nos ver, de novo os pequenos gestos que são uma recordação monumental, tão simples como uma vassoura de giestas...o varrer do forno...
É lindo, é poesia da memória. é homenagem a outros tempos que outros viveram e nós recordaremos em sua memória.
Saudações Verdes com a nossa amizade, Sempre.
At Ento