12 outubro 2006

A Padaria e o Pão de Parambos


Falavamos de água, acresentemos um pouco de farinha e temos o principio do pão.

Claro que não temos os Fornos tradicionais a trabalhar, embora ainda lá estejam fisicamente de pedra e barro à espera de um impulso.
Os tempos são estes e nestes tempos temos o pão que se faz na padaria. Uma industria que fornece pão a todo o concelho. Honra lhe seja feita pelo bom pão que produz.
Como é bom passar pelas 11 horas da noite e sentir o cheirinho a pão fresco, entrar, comprar e sentir que a frescura do pão aquece a mão.
Anda por lá quase sempre um pacote de manteiga para apreciadores do momento. É bonito por essas horas ver a gente da aldeia, como carreirinha de formigas, ir em direcção à padaria.
Quem tiver calma e tempo pode ficar por ali a cavaquear, saborear o pão na hora e ver a azáfama desta profissão.
As fotos noturna ilustram o momento em que o sr André e esposa dão as voltas ao pão levedado no estandal para o forno.
Atentamente.
At Ento












16 comentários:

RL disse...

olá.
Hum! que bom aspecto E com presunto?
RL

Xo_oX disse...

Que bonito pão, dá a fome só de olhar para ele. Nem era necessário presunto bastava um pouco de manteiga.
Não havia um forno comunitário? Ainda é utilizado?

daniel disse...

E quando o André traz da sua adega uma garrafinha de vinho para acompanhar....aí sim, é de comer e beber e chorar por mais.
Inté
Daniel

ViceVersa disse...

Que saudades das belas "tainas" de pão com manteiga à meia-noite!

Atento disse...

Olá XO_OX.
"dá fome só de olhar" bonito! o pão não mata só a fome mas também abre o apetite quando tem a qualidade que se vê.
En Parambos há ainda um forno pronto a trabalhar, Tem o dito forno imponente cvapaz de cozer 3 alqueires de pão, tem o canto da fogueira para o pote de àgua quente, tem o espaço para as maceiras, tem o espaço para um estendal grande e ainda um canto para a lenha e pessoas que sabem dar a volta à massa, mas, as normas da UE, "e os interesses da industria de panificação", impedem-no de funcionar, dizem os responsáveis.
Por essa Europa valorizam-se os espaços tradicionais de comida, de bebida e de produção/confecção artesanal, no seu lugar e ambientes naturais, por cá os responsáveis são mais europeus que os outros e é no que dá, fornos? sim mas fechados.
Um abraço.
Atentamente.
At Ento

Atento disse...

Olá Daniel.
Afinal não é só bom pão que o André faz, o Vinho! claro, ou tinto de estalo, embora isso acompanhe melhor com um cibo de linguiça ou salpicão.
Coisas boas que são um gosto para o paladar e recordar.
Um abraço.
Atentamente.
At Ento

Atento disse...

Olá RL.
Como vês os sabores aparecem com as imgens. O nosso pão acompanha bem com boa companhia e é um prazer para o olhar.
Atentamente.
At Ento

Atento disse...

Olá Viceversa.
...e depois da décima segunda badalada, Plim!, a carruagem virava abóbora e a gata borralheira voltava para a lareira...
Grandes tainas fazem também os grandes momentos e o pão e a manteiga são indissociáveis das recordações de um lugar onde se esteve e que se recorda.
um abraço.
Atentamente.
At Ento

IC disse...

UM OLÁ PARA O XO-XO, EMBORA A CARETA NÃO DIGA COM A LETRA...
TAMBÉM ME DEU FOME E NEM SEQUER PRECISAVA DE PRESUNTO.
BASTAVAM UMAS AZEITONINHAS E ATÉ PODIAM SER DE ZEDES... SERÁ QUE AS HÁ?
UM ABRAÇO

Anónimo disse...

so mesmo em parambos é que se pode comer o verdadeiro pao
PikaPau

Atento disse...

Olá PikaPau.
Quem não comeu o pão em Parambos, nem imagina o que está a perder.
Saudações.
At Ento

Anónimo disse...

O pão de Parambos que saudades eu tenho do pão da minha Avó que cozia no forno a lenha onde eu brinquei na minha infância onde tambem fizemos as nossas tainadas. O Chôpo das brincadeiras,da frescura da sombra do nosso negrilho, das fogueiras de Natal que ali se faziam, da frescura da boa água que no fontenário do Parambos corria. Tudo é bom na nossa terra (PARAMBOS)

Anónimo disse...

Sinto saudades e tenho pena dos fornos tradicionais que ainda temos não estejam a funcionar. Já em tempos sogeri na Junta de Freguesia e sugiro ainda que diviamos tentar criar num deles o forno comunitário e Museu do pão.

Atento disse...

Olá caros Anónimos.
As coisas já não são o que eram. O pão passou a ser o pão do André. A àgua continua fresca, mas aconselham o seu não consumo. O Chôpo lá continua sem negrilho mas agora com guarda de honra feito pelo Leão, o Negrilho passou á história. Ficam os lugares de recordação e as avós continuarão a fazer o nosso pão imaginário que alimenta a saudade e mantém vivos os laços que unem as famílias.
Claro que um museu ajuda sempre a conservar por mais tempo as saudades vivas.
Vamos continuar a falar dessa ideia e um dia...
Saudações .
Atentamente.
At Ento

Anónimo disse...

Hummmmmmmmmmmm
Le bon pain bien chaud avec du beurre,
quel délice LOL
Vivement l'année prochaine.......

Bisous à tous
Christina

Atento disse...

Olá Cristina.
O pão é universal, mas p pão de parambos é muito melhor que qualquer outro.
Tú o dizes, "Uma Delícia" e nós concordamos contigo.
Saudações Verdes.
Atentamente. At Ento