24 julho 2007

A Igreja

Hoje vamos mostrar a igreja numa altura de mudança.
Já faz parte do Baú e das memórias de um vestígio único, que se cimentou e os pilares marcavam a possibilidade de duas entradas se encostaram às paredes.


Agora não se observa assim a nossa igreja. Esta imagem tem uns anitos .


At Ento

9 comentários:

Helder Seixas disse...

Boas, por votava no "referendo" a uma situação do género da foto, mas com grades e um fosso na parte mais larga e um portão vai e vem na parte estreita sem fechadura.
Justifico na minhaopinião porque o que sofreu alteração foi o muro externo e não o Monumento (ou seja os dois pilares em pedra deveriam manter a sua postura inicial).
E que tal enterrar todos os fios que sbrevoam o Adro? , e porque não empedrar o adro?
Tantas outras alterações poderiam melhorar a zona envolvente.
Saudações Leoninas, Helder Seixas

Atento disse...

Olá Hélder Seixas.
Era, tinha sido, a solução ideal, preservar a originalidade e aumentar a funcionalidade com o tal pequeno portal.
E os fios que não permitem tirar uma foto limpa, era boa ideia pensar uma solução e o enterramento era o mais prático.
O adro pelo menos merecia uma alisamento nivelado melhorava, mas uma boa calçada é uma ideia interessante.
E o Adro é um bom lugar de estar por tal merece atenção.
Saudações com amizade leonina.
At Ento

beto disse...

Partilho da vossa opinião: Quanto aos Pilares como na foto sim mas com portões como foram modados deveriam na mesma levar uns portões não de uma Quinta mas uns portões baichinhos tipo jardim, quanto aos fios e ao para raios obsoleto deveriam ser eliminados do ar e a sua instalação subterranea na altura das ultimas obras da Igreja alertei para isso, quanto à pavimentação deveria-se dar um novo pavimento ao existente não em paralelo mas sim um pavimento em lajeado de granito e se possivel criar zonas verdes de estar. Tudo isto seria possivel se a nossa Igreja tivesse gente que se interessa-se por ela o que neste momento não tem visto que nem sequer existe uma Comissão da da Fabrica da Igreja de S. Bartolomeu de Parambos enfim as pessoas que se interessam por esta situações só estão lá temporariamente os que estão permanentemente não se interessam pela terra querem e copos e ainda criticam os que com algum sacrificio alguma coisa fazem. Organize-se uma Comissão Fabriqueira que eu elaboro a candidatura para estes pequenos trabalhos de natureza simples TNS eleminar os fios electricos e pavimentar para inicio pelo menos para já o largo de entrada na Igreja a lajeado de granito e o portão de entrada. Para isto tem que haver uma comissão fabriqueira.

Atento disse...

Olá Beto.
Tens ideias para os problemas que se encontram à volta da Igreja. E o problemas são as pessoas quando deviam ser a solução, por não se envolverem nas coisas que lhe pertence. O problema é velho, os pequenos poderes de quem manda em quê. Quando o que é da aldeia devia ser encarado como um todo, visto com ponderação e envolvimento, pois, se fosse bom seria para todos.
Mas o caminho faz-se caminhando e as ideias também. Vale sempre a pena falar, para que se acordem vontades.
Saudações esperançosas com amizade.
At Ento

Anónimo disse...

Toda a gente sabe que é preciso fazer muita coisa na nossa aldeia, mas só falar mal das pessoas que nela vivem não leva a nada. Quanto à junta fabriqueira houve um grupo de residentes que à pouco tempo se ofereceram, no entanto continuam à espera da resposta. Ainda sobre o adro a junta deve ver a situação em que se encontra o muro pois necessita de obras urgentes uma vez que, durante a festa muita gente se senta nele e esperamos que não haja nenhum acidente para se lembrarem dele. Obrigada

Atento disse...

Olá caro Anónimo.
Às vezes nem toda a gente se preocupa com a nossa aldeia e falar das coisa que podem melhorar não é dizer mal de ninguém.
se nos dizes que há um grupo que se propõem gerir a Junta da Fabriqueira, ainda bem que há vontades, não vemos o porquê da demora da resposta. Essa do muro, se está como sugeres, é pertinente arranjá-lo antes que seja noticia por ter caído.
Cá ficam registadas estas notas.
Saudações com amizade.
At Ento

Pároco de Parambos disse...

Caro Atento...como leitor diário que sou deste espaço permita-se um segundo comentário acerca das dúvidas que foram colocadas:
1º Não é totalmente verdade que a Igreja está abandonada, existem algumas pessoas de boa vontade que vão tratando do que é possível;
2º É verdade que um grupo de residentes se voluntariou para constituir uma comissão fabriqueira.
3º É verdade que ainda não lhes dei uma resposta.
4º É mentira que não se estejam a fazer esforços para resolver este "impasse" administrativo.
5º É verdade que foram já contactadas várias pessoas residentes em Parambos afim de constituir a referida Comissão.
6º É verdade que até hoje nenhuma delas me respondeu positivamente.
7º É verdade que para constituir uma Comissão que tem por finalidade administrar património religioso se exige uma prática religiosa, nomeadamente a participação na missa de Domingo.
8º É verdade que a Comissão Fabriqueira é um órgão CONSULTIVO do Pároco.

Talvez entendam o porquê das demoras. Em todo o lado á regras a cumprir...não fui eu que as fiz. E se o amor á Igreja Paroquial se deve unicamente á beleza e á antiguidade, e não se "visita" para cumprir o objectivo que levou os antepassados a que a construíssem, qualquer pedra de um caminho tem a antiguidade da Igreja.
Cumprimentos. E continue assim...sempre Atento.

Atento disse...

Olá Caro Pároco de Parambos.
P. Humberto.
Sabemos que é nosso visitante pois no-lo tinha dito através do nosso e-mail, quando falamos de Misquel, e nós prezamos muito a sua atenção para este nosso espaço.
Saudamos o empenho e os esforços com vista à nomeação da C.F. e pelos vistos se há propostas, (ponto 2) não há ausência de respostas positivas(ponto 6) por isso a solução não deve ser difícil de resolver.
De facto as pedras são o que mais resiste ao tempo, desde o tempo da Criação logo homenagem ao Criador, e as pedras da nossa terra são únicas e nós amamo-las quer estejam na Serra, nos Muros,na calçada, nas Casas, no Cemitério e claro as da nossa Igreja são de eleição, por isso as temos preservado com o contributo de todos, pois é nossa e está num sitio lindo.
Saudações com amizade com os nossos cumprimentos.
At Ento

Anónimo disse...

Olá caro atento.
Sei que um grupo de jovens se ofereceu para a C.F.e o Sr. Padre não aceitou porque não são frequentadores da Igreja, até aqui tudo bem.
Agora pergunto eu: o que é que se vai ouvir a uma missa desse senhor?
Ouvir piadas e recados, alguns deles falsos?
Quando se portar como um SENHOR dentro de um local tão sagrado acredito que as pessoas tenham vontade de ir á missa.
Nota: No funeral do Sr. João esta semana, estavam cerca de 30 Homens debaixo da tilia á espera do Sr. Padre, pois quando ele chegou passou e nem boa tarde disse, todos comentaram onde está a educação deste Senhor.