03 fevereiro 2011

postais do Fontanário do Chôpo

 Num dos comentários deixados por um anónimo que nos falava da saudade do Fontanário do Chôpo.

Fomos ao arquivo do Blog e encontramos estes momentos de tempos diferentes e de festa como o provam os elementos que enquadram o monumento




O Fontanário está aqui desde 1927, ano que deve ter sido muito importante em Obras Públicas, de notar, como já aqui foi referido, que este ano é também o que consta no arranjo da Fonte das Sereias em Carrazeda.

Nesta data, 1927, Parambos era importante no concelho e o autarca dessa altura soube trazer para a terra esta obra, que nesse tempo, só podia ser revolucionário, pois a aldeia passava a ter água canalizada em condições sanitárias muito avançadas. A água vinha canalizada desde a nascente da Poças, para o depósito, que se situava no Cimo do Povo e daí para o Fontanário do centro da aldeia. Já lá vão 84 anos, se ele falasse imaginem as histórias que nos contaria.
At Ento

36 comentários:

Anónimo disse...

É um dos belos monumentos de Parambos, não fosse o seu nome, assim como a Igreja e a Capela na minha opinião.
E para além disso é muito útil para o povo de Parambos. Outrora mais necessária, pois ouvi várias histórias da sua função, na qual a distribuição de água se destinava aos seus habitantes. Tendo que fazer uma fila, que era orientada pelo regedor da aldeia, para assim ordeiramente todos adquirirem o bem mais precioso do ser humano. Se não estou em erro eheh
Bem conseguidas as fotos.

Um abraço
Nelson Tito

at ento disse...

olá Nelson Tito.
"se não fosse o seu nome" ??
querias dizer?...
É sem dúvida um monumento.
Outrora, nos idos de 1927 do século passado as pessoas iam buscar a água às fontes mais próximas da aldeia, como a Fonte Velha, a Fonte Nova e outras poças que houvesse por aí, tempos difíceis.
Dos tempos do Fontanário do Choupo, nos tempos de seca, Verão, tinha de se racionar a água e havia regras. A partir de uma certa hora tinha de se guardar a vez, ia-se lá por o cântaro, o caneco, o regador, ou o almude, que ficavam em fila por ordem de chegada. Na hora marcada, abria-se a água no depósito, na primeira chave e cada um enchia a vasilha a que tinha direito, até a água acabar.
Havia uma segunda chave no depósito, a de baixo, essa só era aberta se houvesse um incêndio.
Saudações verdes com a nossa amizade.
At Ento

manuel Batista disse...

Muito bomito lindos postais so de ver ja tanho seudades ,obrigada pelo momento,tom longe e tao perto.

zeza peixoto disse...

No meu tempo já havia água canalizada em casa; mas no entanto, quando chegava o verao,e havia pouca água, se tinha que fechar umas horas ou simplesmente porque se acabava, entao tinhamos que ir á fonte buscar-la, a da POÇA, e faziamos umas bichas com os canecos; (bons tempos esses, ainda que mais duros que os de hoje).
Também me lembro com saudades dos bons tempos que faziamos o S.JOAO, no ´chopo` belas CASCATAS e bons arraiais, que saudades dos bons tempos que vao e nao voltam;.....
Um abraço de amizade, para todos que amam a nossa aldeia,...
zeza peixoto

Leão disse...

Olá atento,
Não querendo abusar do teu trabalho e do teu tempo, penso que este blog deveria fazer uma homenagem ao Levezinho que agora nos deixa para sempre....o melhor jogador do Sporting, Baptizado em Parambos pelo Barrajão.

Obrigado Liedson.

lucky disse...

olá para todos
quando li a palavra s.joâo lêmbreime quando organisei um s.joâo em k nâo tinha mais ninguêm para dár continuidáde ao s. joâo, com a ajuda do José bactista e do Rui magalhâes e da minha prima Almerinda e algumas raparigas se fez o que se pode com ajuda de algumas mulheres.

Anónimo disse...

Amiga Zeza falas relembras aqui o S. João deste belo Largo e muito bem. Que belos tempos aqueles em que se dedicavam os cáliçes de vinho do Porto ás raparigas para um pé de dança. Eram tempos em que havia o que não há hoje amigos. O teu Carlos deve lembrarce bem do S. João que ele com um grupo de amigos se fez e que o Largo estava a rebentar pelas costuras com tanta gente. Era S. João, S.Pedro e outos eventos em que o Carlos estava sempre na linha da frente.
Um abraço de amizade.

zeza peixoto disse...

Óla amigo ¡anonimo¡ como bem dizes esse tempo da nossa juventude, havia outro espirito de armonia e animaçao, que talvez se foi perdendo com o passar dos tempos, por diferentes razoes; á menos juventude a residir na aldeia, á mais discotecas e damos mais liberdade aos nossos que talvez nós nao tivemos, mas pensso que os amigos serao os mesmos.
É verdade o meu Carlos era o nosso (DISC-JOKEY), todas as raparigas o iamos buscar para fazer os bailes de domingo, ele sempre estava bem disposto para nos aturar. Também no S.JOAO E S. PEDRO ele era dos que sempre estava ai para todo; e todo mundo se implicava, velhos e novos,....poderia-mos estar horas a recordar,...abraço de amizade
zéza peixoto

Uma Amiga disse...

Amiga Zeza se fosse-mos aqui falar do passado tinha-mos aqui tema para durar dias e dias. É sempre bom lembrar o passado e os amigos.É verdade que o nosso amigo e teu marido Carlos era o nosso disco-joker, nos bailes de Domingo no clube, e das festas com a aparelhagem sonora. Assim ao toque do gira-discos uns ouviam e outros dançavam as musicas do Roberto Leal, Marco Paulo, Teixeirinha, Roberto Carlos, Conjunto Maria Albertina, Linda de Susa, Quim Barreiros, Art Sulivam, Frederic François, etc. atc.
Para ti para o Carlos e para vossos filhos um abraço com amizade.

zéza peixoto disse...

Como vés amiga anonima, a nossa aldeia tem muita historia. Começamos por falar de um belo monumento que é o emblematico FONTANARIO DO CHÔPO, para terminarmos a recordar as nossas vivençias de juventude. Obrigada pelas tuas palavras.
Abraço de amizade para ti e familia.
zéza peixoto

at ento disse...

Olá Cara Conterrânea Amiga e Caminheira, Zeza Peixoto e, Anónimo.
Que belos momentos de recordações. Adoramos, este diálogo tão cheio de história da vida e de momentos que marcam sempre quem os vive e fazem parte de um todo que é a aldeia que amamos, em todo o tempo, o dos nossos avó, o dos nossos pais, os nossos... só faltam umas fotos desses tempo para o nosso álbum de recordações.
Tudo de bom. Saudações verdes com a nossa amizade.
At Ento

lucky disse...

Amigos nâo sabia destas pekenas histórias k estâo cresçendo dos voços têmpos mas ainda têm mais reçentes nâo fosse eu mais novo.
No dia 23 um dia antes da nossa festa e como esse dia é do povo de parambos ...como ténho minha casa pérto do lárgo do choupô acordei pela madrugada um dia 24 agosto com muita musica vinda ela de um de 2 carros com dor de cabeça k no momento só escutei uma voz pedindo de beber e nâo só ouve dias k se fez muitos convivios com bebidas e comida com amigos k nâo sâo como os do vosso têmpo... , histórias k o fontanário do chopô teria k contár nestes 84 anos como nos fala o AT Ento
Comprimentos para todos

Um amigo disse...

É verdade amigo/a Lucky as festas de Parambos agora são bem o que tu dizes. Convivios com bebidas e comidas e muito barulho durante toda a noite, sem respeito pelas pessoas. É o que eu digo já não há amigos respeitadores como os do meu tempo onde havia respeito por novos e velhos.

Paramboense disse...

Ai se este nosso largo fala-se. E esta beleza de fontenário, que matou a sede a tanta gente nas tardes quentes de verão, quando nos sentavamos à sombra do grande e belo negrilho na companhia dos amigos e dos nossos avós. Quanto ás festas de S. João do largo do Chopo é verdade fizeram-se aqui GRANDES S. Joões com a sua imponebte cascata. Relembro aqui uma das noite de S. João de 24 de Junho de 1968 com uma imponente e bela cascata digna de uma maravilha feita pela Maria filha da Senhora Luisa maçada. Foi uma das noites que me ficou na memória. A musica era uma aparelhagem sonora de Safres. Que pena não haver fotos desse tempo. Quanto ao ultimo comentário de Lucky é verdade que as festa de agora é só para a bebedeira e barulho.

Anónimo disse...

O nosso belo e quaze centenário fontenário do Parambos (filho) porque o pai esta na caleira da casa agora do Jorge na Rua dos Quinteiros. Imponente fontenário implantado no largo do Chopo, como já aqui foi dito e muito bem de grandes noites de S. João e ainda de grandes fogueiras da noite de Natal.

Anónimo disse...

Lembro-me perfeitamente dos bailes de são João no largo do Chôpo animadas com a musica do Carlos Trigo e com os cálices para quem quisesse dançar com as raparigas da nossa Aldeia, bons tempos. Lembro-me também dos bailes na casa que hoje é do João Fernando, que era o Clube dos mais novos de seu nome "Seiva Verde" do qual resultaram vários casamentos.
quanto ao Fontenário, na minha opinião este devia fazer parte do brasão da Bandeira da Junta de Freguesia.

Um abraço

NARSM disse...

Para responder ao anónimo do dia 10 de Fevereiro:
Essa do fontenário apesar de belo e ser um dos símbolos de Parambos, fazer parte do brasão da freguesia caso não saiba, fica a saber para que fique esclarecido: Isto da Heráldica tem normas e leis, que obrigatoriamente têm que ser cumpridas, e as normas e leis não permitiram o brasão com o fontenário. Por isso caros conterrâneos o brasão foi feito segundo as normas e a lei.
Quanto ao resto é verdade eu fiz parte dos S. Joões do largo do Chôpo e dos bailes de Domingo com os amigos.

Anónimo disse...

Para responder ao anónimo NARSM, será que sabe o que diz?
Não me parece, a não ser que o nosso Fontanário seja diferente dos outros, senão vejamos a Heráldica de da Junta de Freguesia de Carrazeda de Ansiães em que tem a Fonte das Sereias.

Um abraço

NARSM disse...

Senhor Anónimo sei muito bem o que digo, a fonte das sereias faz parte da história de Ansiães enquanto o fontenário de Parambos apesar de belo é apenas um fontenário.

NARSM disse...

Continuando a responder ao senhor Anónimo diga-me se se sabe o que diz, porque pelos vistos não sabe, e nem sequer conhece o brasão da freguesia de Carrazeda.

M.Pinto disse...

O anónimo de 14 de Fevereiro devia era estar calado para não dizer asneiras. Aconselho-lhe uma consulta ao brasão de Carrazeda de Ansiães.

Um Atento disse...

Para responder ao anónimo NARSM, será que sabe o que diz?
Não me parece, a não ser que o nosso Fontanário seja diferente dos outros, senão vejamos a Heráldica de da Junta de Freguesia de Carrazeda de Ansiães em que tem a Fonte das Sereias.

CARO SENHOR ACONSELHO-O A FAZER UMA CONSULTA AO BRASÃO DE CARRAZEDA PARA DESCOBRIR NO REFERIDO A "FONTE DAS SEREIAS".

Anónimo disse...

Caros Anónimos,NARSM,M.Pinto, Um Atento e outros mais.
Vocês têm a certeza do que falam ou escrevem, eu não me refiro ao Brasão da Câmara mas sim da Junta de Freguesia ou então consultem este Link http://carrazedadeansiaes.jfreguesia.com

Depois digam-me se realmente é uma fonte ou não?

Anónimo disse...

Importante é a fraga do cabeço.

Anónimo disse...

O fontenário está aqui não desde 1927 mas sim desde 1978/79.Em 1927 estava mais para o lado da rua junto do forno. Está aqui porque o povo se opôs, porque quando se modou do seu lugar de origem a ideia da junta na altura era para o encostar à casa do senhor André.

M.Pinto disse...

Dão-lhe o nome de fonte das Sereias mas de fonte não tem nada. É um simbolo com mérito pela sua bela escultura granitica conhecida nos roteiros turisticos de Carrazeda de Ansiães e que a junta de freguesia aproveitou pelo seu valor patrimonial.

Anónimo disse...

Sabem quem fez este fontenário a martelo e pico? Eu sei. Descubram o seu Eventor.

at ento disse...

Olá Anónimo.
Um belo desafio este que deixas, esperamo0s que se ninguém disser, no-lo digas a nós. Seria uma homenagem ao artista da pedra. É na pedra que se imortalizam as Obras mais duradoiras, desde as pirâmides, as antas, os castelos...
Saudações atentas.
At Ento

Anónimo disse...

O escultor do fontenário foi o mesmo que esculpiu uma pedra que se encontrava no S. Pedro mas que desapareceu não sei para onde.(deve ter sido enterrada junta com entulho em algum caminho pelos senhores da junta de freguesia) Pedra essa digna de poder ser um dos símbolos da nossa terra e que as pessoas da altura não souberam dar valor e preservar.
Ao At ento que sabe tudo e descobre tudo, que descubra esta.

at ento disse...

olá.
Mais uma achega que desperta curiosidade.
Essa pedra de S Pedro como era? qual o tema esculpido?
só estando atentos aos sinais a que descobrimos ou preservamos e valorizamos para que não "se enterre num q1ualquer entulho" coisas que podem vir a ser importantes. Pela nossa parte adorávamos descobrir este mistério, para ter ideia de tal obra.
Fica a deixa, vamos, todos, observar as fotos antigas que haja por aí?
Saudações atentas.
at Ento

Anónimo disse...

Também já ouvi falar aos mais antigos dessa pedra. Na minha lembrança estava uma pedra alta com um certo trabalho que estava de pé na estrada junto ao muro do quintal do Senhor Malheiro e que foi derrubada quando do alargamento do cruzamento para Linhares. Esteve a mesma durante muitos anos deitada e encostada ao muro da Serração. Tiraram-na de lá quando deste ultimo novo pavimento da estrada. São estas pequenas coisas que as pessoas deviam dar valor e reciclar. Ele há pessoas que para elas uma pedra é apenas uma pedra. Temos o exemplo das cruzes do adro da Igreja em pedra que em tempos alguem teve o mau gosto de as ter tirado de lá, mas que agora alguem com bom gosto e que sabe dar valor às coisa, voltou a polas no lugar de onde nunca deviam ter saido.

M.Pinto disse...

Não sou anónimo sou uma anónima do Concelho. M.Pinto (Manuela Pinto)

at ento disse...

olá Manuela Pinto.
A grafia por vezes prega-nos partidas e perante um simples letra M, a nossa mente está mais para pensar o mundo no Masculino, Os Homens (no contexto Humanidade). mas, desta vez estava por trás do M, estava o bonito nome de Manuela.
Para a próxima será mais oportuno, Mª, esta grafia.
Está desfeita a dúvida.
As nossas saudações com amizade.
At Ento

Mª Pinto disse...

Estou esclarecida. Não vivendo eu na minha terra Pereiros desse bonito Concelho por motivos profissionais, ausente no estrangeiro, é sempre bom estas páginas no mundo da Internete par nós longe das nossa terra podermos saber novidade do nosso concelho tal como este blog e outros existentes por carrazeda e Vila Flor o do amigo de Zedes Anibal Gonçalves. Não gosto é de que falem mal do meu Concelho.

at ento disse...

Olá cara contereânea Manuela Pinto. Como é bom conversar, assim nos vamos conhecendo melhor e o que era "M Pinto", agora vemos uma amiga com letra grande, do nosso cantinho, que adora as coisas que todos amamos, a nossa terra e o concelho a que pertencemos. Agadecemos as Palavras amigas que nos sensibilizam e estimulam a fazer o nosso melhor.
Tudo de bom para.
Saudações com a nossa amizade.
At Ento

Anónimo disse...

Eu sou o anónimo(a) do dia 14.
Não acredito que esse M. Pinto seja uma Manuela Pinto muito menos que seja dos pereiros porque quando se refere ao meu comentário fez-o como conhecedor do brasão de parambos e com a sua mania que sabe tudo mas que mais uma vez prova que ele(a) fala de cór porque me acusa de não saber o que digo sobre o Brasão da freguesia de Carrazeda, quando todos verificamos que quem não sabe o que diz e quem fala de cór é ele(a).