01 setembro 2007

O Passeio do Padroeiro.

Agosto foi um mês de acontecimentos em Parambos. Muito há a mostrar e isso faremos ao longo do tempo. Pois temos todo o tempo do mundo para visitar este nosso cantinho e ir recordando o que vivemos, para quem cá esteve, e para os que não poderem ver o que perderam.


Estamos no "Cimo do Povo" a ver passar a procissão que abre com os pendões ou bandeiras.


Logo a seguir vem a Cruz com as respectivas lanternas.


O primeiro andor é sempre o do Menino Jesus, Transportado pelos mais pequenos, que por vezes necessitam da proximidade dos adultos para que não desanimem.


Este ano o segundo andor é da Santa Luzia, advogada dos olhos, este também transportado por jovens que revelam o sentir da responsabilidade e concentração.



O terceiro andor é da Santa Rita de Cácia, transportado por gente jovem.


O quarto andor, é o de S. Pedro, santo que guarda o lugar com o seu nome, onde tem capela. Este andor já pertence aos "grandes" e é por isso levado por jovens adultos.



A Senhora da Guia, que tem lugar de adoração na capela de S. Pedro, sai sempre na procissão do Padroeiro e tem o terceiro lugar na hierarquia estabelecida.

A Senhora de Fátima, segunda na hierarquia desta procissão, é sempre um andor que nunca falta no passeio do Padroeiro.

E o Padroeiro da Paroquia de Parambos, S. Bartolomeu, que fecha o séquito de andores que o transporta no passeio anual pelas ruas de Parambos e S. Pedro.
Estes momentos são o inicio.

At ento

4 comentários:

monge e eremita disse...

Olá amigo At ento

também como tu, percorro religiosamente, desde que me conheço, todas as procissões da festa da minha aldeia. Como já tinhamos falado sobre a prova de masculinidade de levar os andores e as bandeiras(estandartes), eu que pensava já estar penitenciado dessa tarefa, este ano lá me tocou a bandeira do Santíssimo, a mais pesada da procissão.Chegou a pensar-se que algumas bandeiras não sairiam por não haver quem lhe pegasse, quando antigamente eram logo marcadas assim que se armavam e por vezes chegava a haver mesmo zangas e barafundas pela sua disputa. Enfim, outros tempos, outras fés!

Abraço amigo

monge

Anónimo disse...

ola Parambos que bom viver a festa de Parambos e mesmo uma alegria para nos todos.
Comprimentos para vos.
Monica (raposa)
França

Atento disse...

Olá Monge.
Afinal é bom estarmos sempre prontos para outra.
Então cumpriste a função e ainda bem pois as tradições têm de ser incrementadas e não basta, por vezes, apenas a nossa contribuição anterior.
Não houve uma alma fotográfica que te apanhasse?.
Um abraço com amizade.
At Ento

Atento disse...

Olá Mónica.
Esperamos que tudo esteja a correr bem por aí.
Por aqui continuamos a recordar os bons momentos das festas, para mantermos vivo o desejo de "para o ano em Parambos outra vez".
Saudações com amizade para todos.
At ento