15 abril 2008

Escritos sobre Parambos

Vamos hoje divulgar um escrito, que nos chegou por e-mail, de um conterrâneo, João José de Seixas, sobre a Aldeia de Parambos. Um retrato escrito que nos fala de pertença, de identidade e das características que nos identificam como um povo.


Hino a Parambos!

Parambos, pacata aldeia

do nordeste transmontano;

do que é bom ela é cheia,

e de ar puro todo o ano!

Toda escancarada ao sol,


tem prados de encher a vista;

mas também há nesse rol

o verde sportinguista!

Sua gente hospitaleira

e franca, leal, bondosa!

Nada tem de interesseira

e cheira a cravo e a rosa!

Num planalto, entre os montes,

deixa as almas agradadas!

Nela murmuram nas fontes

mouras tristes, encantadas!

Lá se crê, com devoção,

que no Cabeço apar’ceu

a Senhora da Assunção

como um milagre do Céu!

Na tua doce alvorada,

a minha fronte eu reclino

e d’alma transfigurada

aqui te entoo este hino!

Ó Parambos, terra minha,

não tenho prazer igual

quando rezo na igrejinha

junto à pia baptismal!

À Virgem Santa Maria

quero agradecer o Bem

de lá ter uma ermidinha

nesta escondida Belém!

João José de Seixas


É um prazer para nós divulgarmos obra de gente da nossa terra. Esperamos que seja um incentivo para outros se tentarem a divulgar algo que tenha Parambos como referência e que seja um ponto de partilha.


At Ento

3 comentários:

Anónimo disse...

Esse cartaz verde já está a ser cansativo e a tornar parolo as pessoas responsaveis pela sua colocação deviam pensar um bocadinho e retiralos. Como Sportinguista que sou acho que já se torna parolice os paineis.

Anónimo disse...

Ser� poss�vel que em duas imagens e um hino a Parambos bonito como este, a �nica coisa que lhe despertou a aten�o foi um cartaz?

at ento disse...

Olá caro anónimo.
O nosso apanágio é que todos os HOMENS são LIVRES e IGUAIS de terem as suas opiniões. Mas um "sportinguista" que se diz "cansado dos painéis" que louvam o espírito sportinguista!!!!! deve repensar a sua cor clubista, o nosso modesto conselho.
Claro que ninguém é, na nossa modesta opinião, obrigado a saber ler uma boa prosa, nem ter sensibilidade para a poesia,
Mas que a poesia e os painéis aqui rimam muito bem é verdade.
Que o espírito verde ilumine os seus dias.
At Ento