22 abril 2008

a Nossa Aldeia, a rua e as casas


Vamos hoje começar a destacar as casas e as ruas e "canelhos" de Parambos e algumas particularidades que se podem encontrar nestes percursos. Desta forma, quem está longe pode ver como está a nossa aldeia agora e para nós que por cá vivemos podermos ver com é bonita e continuarmos a sentir orgulho na nossa aldeia.


Hoje começamos o percurso que vai em direcção ao "Cimo do Povo"


Passamos por um "Canelho" que deixamos para os nossos visitantes o desafio, que esperamos aceitem como forma de participar, de o Identificarem




E esta particularidade. Esta porta,s abem onde a podemos observar? Tem uma forma especial, sabem porquê?
Aguardamos a vossa participação que só nos vai enriquecer, pois esta rua, por onde começamos, há-de ter histórias e recordações que sejam interessante de partilhar.

At Ento


14 comentários:

eduardo disse...

Cá estou eu de novo com o meu palpite.
O "Canelho" como era chamada antigamente,onde morou a Sra. Laurinha cega e o Sr. Zé Batista agora chama-se Beco dos Borges.
A porta do desafio situa-se a uns 5metros para a direita para quem sai do "canelho" de que falamos e é de uma loja do Sr. Dr. João Sampaio.
A forma da porta deve ter um significado que a meu ver devia ser para passar tunéis de vinho.

Saudações ao At Ento

India disse...

é muito giro o vosso blog! parabéns!

at ento disse...

Olá India.
Muito gosto teríamos que considerasses também este cantinho como teu, pois pode-se sempre encontrar muitas novidades nesta aldeia verde de Trás Os Montes e a nossa gente tem muitas histórias que vamos divulgando e descobrindo ou simplesmente recordando.
Saudações com amizade.
At Ento

at ento disse...

Olá Eduardo.
E Estás muito bem, pois é um lugar bom de estar.
E sempre oportuna a tua intervenção e a interpretação que fazes está correcta, achamos nós.
Recordas-nos a Laurinha cega uma figura bem característica de Parambos e que via muito bem a aldeia em que se deslocava com uma liberdade incrível e conhecendo as pessoas,todas as pessoas, pelo andar.
Uma homenagem para ela.
Saudações com a nossa amizade.
At Ento

Anónimo disse...

Este sim é o verdadeiro blog viverparambos

Beto disse...

É verdade amigo anónimo que não conheço este sim é o verdadeiro blog. E assim levamos longe e para as nossas gentes belas imagens da terra que que nos viu nascer e que nos é querida. Quanto ao enigma já aqui foi esclarecido. A casa do Sr. António e Felicidade eu acho uma casa com este alçado simples mas espectacular enquadrada naquele aglomerado de granito e com a sua varanda onde bate o sol nascente. Parambos é Parambos e despensa comentários de beleza. É simplesmente lindo.
Saudações com amizade.

Beto disse...

Relembro aqui a história que tinha esta rua e este beco: No tempo da professora D. Maria sempre que passávamos nesta rua ao atravessarmos este beco ia sempre um à frente espreitar para ver se a professora estava na varanda e só depois passávamos para cima a caminho do Adro ou do Cabeço. Se ela nos visse passar na manha seguinte na escola tinha-mos que justificar para onde era a ida. bons tempos.

Anónimo disse...

E o buraquinho do gato não é formidável?
Os nossos antecessores eram bem práticos...e espertos.
Clarinda

Anónimo disse...

Como é linda a minha aldeia, o lugar onde eu nasci. Das ruas do passado em calçada Portuguêsa e das estrumeiras em agulhetas onde brincavamos, do chiar do carro de bois por elas a passar. Hoje os tempos são outros e estas ruas estão mais limpas e com um pavimento moderno. O comentário do amigo Beto da que foi nossa professora D. Maria era verdade ambos acompanhamos juntos esses momentos com outros amigos a cominho principalmente do Adro da Igreja para aí jogarmos futebol na altura não tinha-mos polidesportivo.
Saudações sempre amigas

Anónimo disse...

Estamos a ficar muito nostálgicos!
É bom vermos esses lugares que nos eram/são tão queridos.
Quando éramos pequenos, tínhamos medo da D. Maria,mas acho que educou e instruiu muita gente e fez de quase todos nós gente de bem.
Vi-a (quando era viva,é claro) e, já adulta, não vi nada nela de assustador. Tive mesmo muito prazer em revê-la.
Saudações para todos

Beto disse...

Caro Anónimo o que eu quis dizer aqui da professora D.Maria não era que era assustadora era sim do respeito que impunha e que nós alunos tinha-mos por ela. Nunca tive medo dela a não ser quando chegava à escola sem os deveres por fazer a que a régua trabalhava.

Eduardo Anjos disse...

Gosto muito do Nordeste transmontano mas especialmente de Parambos pois tenho um pouco dessa aldeia em mim.
É com muita nostalgia que vejo algumas ruas de Parambos e quero aproveitar para mandar um abraço especial ao Eduardo, Luís Pássaro, Nélson Tito e de um modo geral a toda a gente boa da aldeia mais verde de Portugal.

at ento disse...

Olá Eduardo Anjos.
Bem Vindo ao nosso espaço, que é um pouco do Nordeste, o Nosso Nordeste, esperamos que te sintas bem aqui, pois estás também mais perto das pessoas que referes e de todos nós que adoramos este pedacinho de Portugal de verde pintado.
Aqui encontrarás sempre algo, de novo ou não, que te dará saudade ou despertará recordações.
Saudações com a nossa amizade.
At Ento

Anónimo disse...

Olá gente da minha terra!
Sinto sempre muito prazer em vos revisitar e é com agrado que verifico que, embora não tendo nascido lá, vejo o Eduardo, meu sobrinho, gostar desta terra que nos viu nascer a nós.
É a costela...
Beijos para todos vós.
Clarinda